• Monique Costa

O sacrifício familiar em "My Heart Can’t Beat Unless You Tell It To"

Moralidade e ética são linhas muito tênues que frequentemente são cruzadas no cinema quando abordadas em dramas familiares, e Jonathan Cuartas faz isso muito bem em seu longa de estreia My Heart Can't Beat Unless You Tell It To, no qual utiliza o gênero apenas como uma ferramenta para tratar sobre algo muito mais assustador: as relações humanas.


Na trama, acompanhamos três irmãos em suas lutas particulares e compartilhadas por sobrevivência. Dwight (Patrick Fugit) e Jessie (Ingrid Sophie Schram) são os mais velhos que estão dispostos a tudo para manter a saúde do caçula Thomas (Owen Campbell), mesmo que isso signifique ultrapassar e/ou ignorar suas próprias convicções e vontades.


A ideia, que surgiu a partir da experiência de luto do diretor colombiano-americano após a perda de sua avó, já tinha sido explorada pelo mesmo em 2017 no curta Kuru. No entanto, além das diferenças de duração, orçamento e elenco, Cuartas foca em outra mitologia para explorar o clima complexo e contraditório de tensão e ternura dentro do núcleo familiar.



O seu título marcante referenciando a música I'm Controlled By Your Love de Helene Smith já deixa indícios sobre a dependência entre seus personagens. Enquanto Thomas necessita dos irmãos para saciarem sua sede por sangue, os mais velhos resumem suas existências no cuidado do caçula. O problema se dá quando eles começam a divergir sobre a dinâmica que levam, e os desejos individuais passam a sobrepor a estrutura familiar já estabelecida.


Com uma abordagem bem realista, Cuartas faz uso de um ambiente bem estéril e apático, dando foco no desenvolvimento dos seus personagens que, mesmo sem muitos diálogos, conseguem passar suas emoções pelo silêncio e ausência. Da mesma forma ele aborda as questões de moralidade e vitalidade. O contexto social das vítimas e a contradição de uma existência imortal fragilizada, dependente e confinada são perceptíveis mesmo que não sejam ditas, o que é um grande mérito do diretor e roteirista.


E dada a ótima construção e grande potencial de contar histórias inquietantes, sensíveis e intimistas que vimos em My Heart Can’t Beat Unless You Tell It To, ficamos na curiosidade e ansiedade pelos futuros projetos de Jonathan Cuartas, que pretende continuar trabalhando na combinação entre terror e drama e promete explorar sua descendência colombiana em uma história ainda mais assustadora.


Meu Coração Só Irá Bater Se Você Pedir (2020)

My Heart Can’t Beat Unless You Tell It To


IMDb | Rotten Tomatoes | Letterboxd | Filmow

Direção Jonathan Cuartas

Duração 1h29min

Gênero(s) Terror, Drama

Elenco Patrick Fugit, Ingrid Sophie Schram, Owen Campbell +


70 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo