top of page
  • Foto do escritorIsabela Picolo

Abigail (2024)

Em uma junção de Home Alone e Fright Night, nasceu o filme Abigail. A dupla de diretores  Matt Bettinelli-Olpin e Tyler Gillett (Pânico VI e Casamento Sangrento) voltam para mais um projeto, trazendo Melissa Barrera e outros nomes como Giancarlo Esposito, Dan Stevens e Kathryn Newton, que tem sido um rostinho bem popular nos últimos tempos.


Há quem tenha a preferência de ver filmes sem saber de nada, mas se você já ouviu falar desse, isso não será possível, porque ou você vai ver um trailer que entrega tudo, ou vai ver uma imagem por aí que vai revelar mais ou menos sobre a trama. Um grupo de criminosos altamente qualificado é escalado para sequestrar uma criança, filha de um homem muito poderoso. Ninguém sabe quem é esse homem, mas eles precisam manter a menina presa 24h em uma casa. Quando um clima de Whodunnit começa, eles se voltam um contra o outro para tentar descobrir quem está por trás das mortes misteriosas. A gente já sabe, mas fica assistindo os personagens descobrirem aos poucos entre piadas e momentos tensos.



Como tudo é uma questão de escolha, o filme não tem o objetivo de fazer o telespectador pensar nisso como parte do mistério, já que é vendido como ‘Abigail, a garota vampira, a filha do Drácula’, então a trama se sustenta em outras coisas. Não tem nada de novo em prender pessoas em uma casa e fazê-las tentarem sobreviver, como em um jogo sádico. Aos poucos ele vai entregando o que está acontecendo e quem está por trás de tudo. 


O fato de ser outro filme de vampiro não vai estragar a experiência se você já souber disso, então acredito que essa foi a aposta segura para que não houvesse tantas decepções, caso isso fosse um mistério para o filme. A expectativa sempre pode atrapalhar, portanto querer fazer algo novo com essa temática teria que partir para outro caminho. O que o filme tenta fazer, e até pode ter conseguido foi mudar alguns clichês, mas não todos, pois o jumpscare vazio se faz presente algumas vezes. A inovação estaria mais na intenção de trabalhar a ideia de ficar preso com um vampiro em um universo em que teoricamente eles não existem, e tentar descobrir como matar uma criatura lendária usando os conhecimentos populares, como a clássica estaca no coração, alho, crucifixo e por aí vai. Um ponto positivo nisso foi a maneira em que os personagens lidam com essa situação e a forma divertida que eles encontram para tentar se defender e sobreviver.


Dentro desse cenário de filmes e terror comerciais é difícil exigir coragem e autenticidade para trabalhar com finais mais ousados e impopulares. As reviravoltas aumentam, alguns clichês tentam ser quebrados, porém essa incessante luta por sobrevivência nos entrega um final com uma redenção sem muito sentido, mas que já estava prevista. 



 

ABIGAIL (2024)


Direção  Matt Bettinelli-Olpin, Tyler Gillett

Duração 109 min

Gênero(s) Horror, Sobrenatural

Elenco Alisha Weir, Melissa Barrera, Dan Stevens, Kathryn Newton, Angus Cloud, Giancarlo Esposito, Matthew Goode +

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page