• Amanda Guerra

O Diabo em Ohio

Mais uma da Netflix por aqui. Quando assisti achei que seria uma daquelas minisséries mais escondidas dentro do catálogo. Hoje mesmo sabendo que a trama ficou entre o Top 10 dos mais assistidos da plataforma, não vi muitas pessoas conversando sobre.


Sinopse: Dra. Suzanne Mathis é uma psiquiatra que trabalha em uma clínica com jovens traumatizados. Quando a jovem Mae chega ao local, Suzanne se solidariza com o passado da menina, levando a mesma para a sua própria casa. Estabelecendo-se em meio ao novo cotidiano, Mae começa a demonstrar um comportamento que, aos poucos, vai amedrontando a família da médica, que descobrem que a jovem fugiu de uma estranha seita localizada no interior de Ohio. Completamente decidida a entender o passado da nova inquilina, quanto mais Suzanne passa a investigar as origens dessa comunidade reclusa, mas ela se convence de que Mae esconde segredos sombrios.


Seita, teologia, ocultismo, e psicopatia embalam a minissérie que pode não ter aproveitado todos os elementos com êxito, mas isso muda quando você descobre que O Diabo em Ohio é, sim, inspirado em uma história real.

A série é uma adaptação do romance homônimo da criadora Daria Polatin. O livro que leva o mesmo nome da série é sobre a história verídica de uma adolescente que fugiu do culto satânico de Don Lundgren e passou a viver com a família do seu psiquiatra. A identidade verdadeira dos envolvidos além do assassino ou qualquer informação detalhada sobre o fato nunca foi vazada, por motivos óbvios de privacidade, mas os elementos para a construção do livro foram retirados da vida de Jeffrey Don Lundgren, guru de uma comunidade mórmon, que foi executado em 2005 nos Estados Unidos pelo assassinato de cinco membros da mesma família.


Com a representação inspirada na vida real de adoração ao obscuro, ‘O Diabo em Ohio’ também retrata as dificuldades para superar o passado e os traumas adquiridos através das circunstâncias da vida de cada personagem. O final encerrou as questões abertas mas também deixou uma abertura para termos uma segunda temporada apesar da série deixar claro que tem começo, meio e fim.

Pode soar um pouco teen pelos conflitos adolescentes entre as irmãs no decorrer dos episódios, mas vale a pena conhecer a história e admirar a interpretação de Madeleine Arthur e Emily Deschanel, afinal o tema é sempre bem mais complexo do que afirmar o que é certo ou errado dentro das crenças religiosas, sejam elas boas ou ruins.



 

O Diabo em Ohio (2022)

Devil in Ohio


Série

1ª Temporada

Disponível na Netflix



13 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo