• Thaís Vieira

M8 - Quando a Morte Socorre a Vida: Corpos Negros e a Vivência entre Espaços

A quais lugares os corpos negros pertencem? Será possível ocupar dois lugares concomitantemente? Até quando racistas se apoiarão em "opiniões", "comportamentos típicos" e "circunstâncias corriqueiras"? Dado o panorama atual e compreendendo o histórico brasileiro, dificilmente as mudanças serão conquistas sem um embate direto. Ou seja, deixando claro o quão nocivo o racismo é tanto para negros como para não negros. Enquanto tais barreiras continuarem a delimitar os direitos e deveres de determinados cidadãos, o preconceito racial e seus tentáculos irão influenciar nossas vivências.


Fiz uso de tais indagações porque estas são cruciais para compreender o trabalho realizado por Jeferson De, expoente do cinema negro. O filme retrata situações relativas a chegada de sujeitos negros em ambientes anteriormente ocupados por uma maioria branca que não só se regozijava de sua presença única nestes espaços como também considerava natural a ausência de outras etnias nestes locais.



Em M8 - Quando a Morte Socorre a Vida conhecemos Mauricio (Juan Paiva) estudante de medicina da UFRJ reconhecendo o espaço acadêmico como um ambiente de aprendizado, mas também de hostilidade e de compreensão dos resultados de uma contínua ausência do Estado para com seus cidadãos. Desta forma, a rotina carioca é esmiuçada através do olhar do personagem principal, principalmente ao relacionar a cor dos corpos encontrados no necrotério as limitações sociais e as dores infligidas contra corpos semelhantes ao seu.


O filme tem seus méritos, além da discussão acerca do racismo na sociedade, a sonoplastia trabalha de forma a contribuir com a construção proposta pelo diretor, no entanto, ainda fica aquela sensação de que o filme poderia ter ido um pouco mais além. Alguns personagens poderiam receber um pouco mais de atenção (Zezé Motta merecia mais tempo de tela), outros menos e a opção por dar respostas fáceis incomoda, a curta duração também atrapalha.


No entanto, o filme ganha ótimos contornos quando une a religiosidade a investigação do cadáver M8, um elenco negro potente, um realizador extremamente competente e tem uma premissa interessantíssima, só gostaria que tivéssemos mais tempo de acompanhar a jornada do personagem e os desdobramentos de um preto que chegou lá.


M8 - Quando a Morte Socorre a Vida (2020)


IMDb | Letterboxd | Filmow

Direção Jeferson De

Duração 1h24min

Gênero(s) Thriller, Drama

Elenco Juan Paiva, Mariana Nunes, Raphael Logam +