• Amanda Guerra

Dahmer - Um Canibal Americano

Escrever sobre o Dahmer não é fácil e a Netflix não facilitou esse trabalho quando resolveu lançar sua nova minissérie: Dahmer: Um Canibal Americano.

Sou particularmente fã do Ryan Murphy dirigindo séries e já esperava que a escolha do ator seria Evan Peters, afinal essa dupla lembra muito Tim Burton e Jhonny Deep em suas grandes parcerias cinematográficas.


Crimes reais são sempre difíceis de digerir, mas eu não consigo dizer nenhum que me incomodou tanto quanto acompanhar a trajetória infame de Jeffrey Dahmer.

Mesmo com a série mostrando uma vida turbulenta, os problemas familiares e alguns pontos que podem até te fazer pensar que Dahmer era apenas um garoto solitário, estranho e com uma educação relapsa. Os meios não justificam os fins quando falamos sobre os crimes que ele cometeu.


O Canibal Americano matou 17 homens, entre eles um adolescente de 14 anos chamado Konerak Sinthasomphone (irmão de um outro garoto que Jeffrey já havia molestado, porém quando chegou a ir para julgamento foi absolvido).

Todas as suas vítimas eram LGBTQIA+, e a grande maioria eram negros ou indígenas com baixo poder aquisitivo.


A série mostra todas as nuances de crueldade e sadismo de Dahmer e o que não é visto explicitamente é bem ilustrado por sons, gritos e simulações de embrulhar o estômago até para os mais fortes.

Não preciso descrever os crimes, já que com o sucesso da série todo mundo sabe como ele atraia suas vítimas e o que fazia com elas.



Mas a série passa longe de ser apenas uma biografia sobre um assassino. Ela mostra como uma minoria sofreu descaso policial, descaso esse que levou Konerak que tinha conseguido escapar novamente para os braços de Jeffrey.

Ela mostra como uma parcela da população pode sair impune por algum tempo devido a sua classe econômica e a cor da sua pele.

Glenda Cleveland, sua vizinha chamou a polícia tantas vezes que pelo menos cinco dos assassinatos poderiam ter sido evitados se os alertas tivessem sido atendidos. A minissérie conta com uma das gravações reais feita por ela para a polícia, mais uma vez sem sucesso.


O ritmo da série parece lento mas é apenas um dos diversos recursos para mostrar como Dahmer era um sádico sem nenhum remorso ou sentimentos por nada ou ninguém. O único momento em que você pensa que ele realmente se apaixonou por alguém e mudou foi apagado por sua vontade de controle e carência extrema quando executa o Jovem Tony, com quem teve um relacionamento recíproco.

Acredito que esse foi o único homem que quase conseguiu parar Jeffrey, por ter feito ele entender como as pessoas precisam se fazer entender no mundo da forma que elas são. (Tony era um jovem negro, homossexual e surdo).

A verdade é que a série dói não apenas pelos crimes hediondos, mas por sabermos que mesmo atualmente talvez possam existir outros Jeffrey's por aí que que passam despercebidos pelo racismo estrutural que vivemos na nossa sociedade.


Quando falamos das vítimas esquecemos que com esses 17 homens morreram também 17 famílias que vivem até hoje essa dor. Esquecemos da sua vizinha que foi uma das maiores vítimas que ele fez pois ela precisou ouvir diversos assassinatos acontecendo ao lado dela sem poder fazer nada além do que já tentava.

No final a série até tenta mostrar um Dahmer religioso, que não engana ninguém e pode soar cruel mas a cena da sua morte é excelente, principalmente para quem entende sobre Deus do antigo testamento e Deus no novo testamento.


Ryan Murphy chegou não só com uma biografia sádica mas com uma crítica social, assuntos teológicos, relações familiares tóxicas e justiça (a falta dela também).

Evan Peters ficou impecavelmente repulsivo em sua atuação mostrando que não se contentou com o prêmio de melhor ator coadjuvante na minissérie  Mare of Easttown em 2021 e com sua atuação em Dahmer: Um Canibal Americano quem sabe o Emmy de melhor ator vem aí em 2023!

 

Dahmer - Um Canibal Americano (2022)


Disponível na Netflix

Criação Ryan Murphy,Ian Brennan

Duração 1 Temporada (10 Episódios)

Elenco Evan Peters,Richard Jenkins,Niecy Nash +


75 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo